EU me amo

Por Otávio A. S. Espíndola

Já disse certa vez um cara que supostamente salvou o mundo “Ame ao próximo como a ti mesmo”.

Esta máxima que orienta cerca de dois bilhões de cristãos no mundo inteiro esconde uma verdade inquietante: Somos egoístas por natureza. Vivemos única e exclusivamente para satisfazer os nossos próprios anseios e se pensamos numa outra pessoa é porque isso torna nossa vida mais fácil.

Se respeitamos regras de convivência em sociedade é porque sem elas nossa vida seria um caos, estaríamos em constante conflito de interesses, você fazendo o que bem entende e incomodando os outros e, consequentemente, sendo incomodado. É mais conveniente dividirmos tarefas e colhermos os louros do trabalho alheio do que termos que fazer tudo sozinhos.

Se você respeita uma opinião diferente da sua é porque espera que a sua opinião seja respeitada. Se você se sacrifica por alguém é porque espera reconhecimento senão deste alguém, de outros ou então de alguma entidade superior. Não se engane, Madre Teresa só era boazinha porque ela aprendeu que seria recompensada no céu. Em todos os casos, em primeiro ou segundo plano, com maior ou menor intensidade está sempre o EU.

Você ajuda um necessitado porque isto TE faz sentir melhor. Você se preocupa com o meio ambiente porque VOCÊ não quer ficar sem água, ou simplesmente porque VOCÊ se sente bem com isso. Mas não me leve a mal, acho que o mundo funciona mais ou menos bem assim.

 

Anúncios

4 responses to “EU me amo”

  1. Sérgio A. Ramos Jr. says :

    Concordo!! O individualismo cego está ligado com as entranhas do comportamento humanos desde de tempos ancestrais, oriundo de nosso primário e insquestionável instinto de sobrevivência, está aí e ainda não nasceu doutrina capaz suprimí-lo de fato!

  2. Silvelena says :

    A sociedade faz com que usemos máscaras o tempo todo. Em situações de conflito ou total desespero humano o que será que seríamos capazes de fazer???Será que a religião seguraria a fúria??

  3. Carolina Ribeiro says :

    Hoje eu estava lendo um texto de Geertz “a religião como sistema cultura” e o autor cita uma frase que me lembrou muito seu texto, e vou coloca-la aqui complementando o que vc já disse:
    “Sabendo que um Homem é vaidoso [ou seja, é motivado pela vaidade] esperamos que ele se comporte de determinada maneira, isto é, que fale muito de si mesmo, que só procure companhias importantes, que rejeita a critica, que procure aparecer e que se afaste de conversas elogiosas a outrem. Esperamos que ele ponha tons de rosa em seus sonhos acordados de sucesso, que evite lembrar seus fracassos e que planeje seu proprio progresso”

    Excelente texto,
    Abrs.

  4. Diego Coletti Oliva says :

    Concordo plenamente Otávio! Tudo que fazemos, no fundo é só pra satisfazermos a nós mesmos! Mesmo quando aparentemente estamos ajudando os outros, estamos na verdade acariciando nosso próprio ego! E ficamos felizes por isso, mesmo que não demonstremos! Nada a declarar, concordo plenamente com vc!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: